19/08/15

MERGULHADORES DA ARMADA NO INÍCIO DO SÉCULO XX

          Pela Portaria de 29 de Novembro de 1905 os programas dos cursos da Escola de Torpedos e Electricidade são reorganizados, sendo frequentados por Oficiais, Sargentos artífices e Praças Torpedeiro-electricistas, cursos que englobam na sua "2.ª classe" a instrução de Mergulhadores. Em 1907 entram em vigor na Armada as tabelas e descompressão de "Haldane".
          A data de 26 de Setembro de 1910, é reportado na revista portuguesa "Revista Ilustração Portuguesa" a utilização de Mergulhadores da Marinha equipados com escafandro clássico semi-autónomo de circuito aberto "SIEBE GORMAN", numa missão de salvamento marítimo a bordo do navio "S. Gabriel".







































Mergulhador da Marinha equipado com escafandro clássico semi-autónomo de circuito aberto "SIEBE GORMAN"

          Com o advento do primeiro submersível português, o NRP "Espadarte" a 15 de Abril de 1913, surgem quase de imediato os primeiros aparelhos de mergulho autónomo de circuito fechado com 100% de O² respirável: "DAVIS" (Davis Submarine Escape Apparatus), com capacidade para cerca de 10 metros de profundidade, que na verdade era destinado à evacuação submarina de emergência da guarnição, marcando o início da Marinha de Guerra Portuguesa na área do mergulho militar ligeiro de intervenção.






































Mergulhador da Armada com equipamento "DAVIS" (Foto cedida por 1Sarg. US José Ferreira Marques)

          Pela Portaria de 23 de Outubro de 1913 surge o 1.º Regulamento que promulga as "Disposições relativas ao serviço de Mergulhadores da Armada".
          Em Abril de 1922, em virtude desde 1919 não se habilitar nenhuma Praça em Mergulhador, são actualizadas as gratificações a Mergulhadores estipuladas na Portaria de 23 de Outubro de 1913, sob proposta da Escola de Torpedos e Electricistas [Decreto n.º 3160 de 22 de Abril de 1922], o próprio decreto menciona:
- "Para promover a concorrência às escolas de Mergulhadores, que há três anos não habilitam pessoal algum por falta de Praças que desejem especializar-se".
          Observando o disposto na Regulamentação de 2 de Setembro de 1924, os Mergulhadores são inseridos na recém-criada Brigada de Mecânicos [Decreto de 1 de Setembro de 1924], responsável pela instrução de electricidade, radiotelegrafia, máquinas, torpedos e minas.
          Ainda na década de 1920, o Navio de Salvamento NRP "Patrão Lopes" emprega nas suas missões de Salvação Marítima Mergulhadores da Armada com escafandro clássico semi-autónomo de circuito aberto "SIEBE GORMAN" (ver artigo).























Equipamento de mergulho diverso na Sala-Museu da Escola de Mergulhadores

Artigo sobre o Navio de Salvamento NRP "Patrão Lopes":
http://barcoavista.blogspot.pt/2015/06/mergulhadores-da-armada-e-o-navio-de.html

3 comentários:

  1. Sempre a aprender com este incansável Amigo!

    RON

    ResponderEliminar
  2. Sempre em pesquisa, divulgando a Marinha e os marinheiros!
    Obrigado

    ResponderEliminar
  3. Amigo Morais, Bom Artigo! Venham os próximos. Abraço.

    ResponderEliminar

Grato pelo seu comentário, prontamente estará visível!