03/07/09

NAVIO-ESCOLA "SAGRES"

(ACTUALIZADO)


Navio-Escola "SAGRES"

TIPO DE NAVIO:
Barca de três mastros com gáveas

PERFIL:



DESLOCAMENTO:
1.940 toneladas

DIMENSÕES:
89,5 x 11,9 x 5,5 metros

ALTURA DO MASTRO:
45,1 metros

PROPULSÃO:
Eólica
2 motores a diesel MTU 12V 183 TE92 - 1.000cv
1 hélice

COMBUSTÍVEL:
113 toneladas

VELOCIDADE MÁXIMA:
Eólica - 16,5 nós
Diesel - 10,5 nós (19 km)

AUTONOMIA:
5.450 milhas a 7,5 nós (diesel)
30 dias a motor

GUARNIÇÃO:
Oficiais: 9 (Sob o comando de um oficial superior)
Sargentos: 16
Praças: 114
Cadetes: 63 (51 masculinos e 12 femininos)
Total: 202

RADAR:
Navegação - RACAL-DECCA 1226C (27 Km de alcance);
Navegação - KELVIN HUGHES KH 1007, banda I (37 Km de alcance)

COMUNICAÇÕES:
- Comunicações por satélite INMARSAT B;
- 1 ETO (Emissor Transmissor de Ordens);
- Radiogoniómetros TAYO VHF / HF / MF;
- 2 Projectores de sinais

EQUIPAMENTO:
- Sistema de recepção de Avisos à Navegação NAVTEX;
- Sistema de Carta Electrónica ECDIS;
- 2 Odómetros electromagnéticos SAGEM e PLATH;
- Receptor meteorológico FAC-SIMILE - NAGRAFAX;
- Área vélica: 2.355 m² (23 velas);
- 1 Grua hidráulica telescópica HIAB 60 SEACRANE de 3,5 toneladas;
- Receptor DGPS;
- Ómega diferencial;
- Ar condicionado;
- 2 Anemómetros;
- Girobússola Sperry Mk27;
- 2 Barógrafos;
- 1 Barómetro;
- 10 Balsas salva-vidas;
- Sonda ultrasónica ELAC 5000;
- Casco de aço (10mm);
- 10 anteparas estanques;
- 2 Botes pneumáticos ZEBRO III;
- 2 Lancha semi-rígida;
- 2 Escaleres;
- 1 dessalinizador;
- Sistema GPS;
- Grua hidraúlica;
- Agulha magnética;
- Agulha giroscópica

SISTEMAS DE ARMAS:
2 Peças HOTCHKISS de 47mm (destinadas a salva)

DESIGNAÇÃO NATO:
AXS

INDICATIVO DE CHAMADA INTERNACIONAL:
ESCOLAGRES

INDICATIVO RADIOTELEGRÁFICO:
CTEC


NÚMERO DE AMURA:
A520

BASE DE APOIO:
Base Naval de Lisboa

NOME:
N.R.P. Sagres

ANO DE CONSTRUÇÃO:
1937 / 1962

NOTAS:
• Foi construído em 1937 pelos estaleiros "Blohm & Voss" na Alemanha, recebendo o nome de "Albert Leo Schlageter", sendo o terceiro navio da classe "Gorch Fock" e pertencia à Marinha de Guerra Alemã (Kriegsmarine).
• No início da noite de 14 de Novembro de 1944, durante a Segunda Guerra Mundial foi gravemente danificado na proa a bombordo, parecendo 17 elementos da guarnição, ao activar uma mina colocada por navios soviéticos quando realizava uma viagem de instrução com mau tempo no Mar Báltico, a 20 milhas a Nordeste do Cabo Arkona. Com o objectivo de proceder as necessárias reparações deslocou-se para o estaleiro de "Werke Kiel", posteriormente em 1945 foi capturado em Bremerhaven, cabendo como despojo de guerra aos EUA.
• A 4 de Julho de 1948, o navio foi cedido à Marinha de Guerra do Brasil, pelo custo de de 5.000 dólares, como reparação de prejuízos de guerra causados por submarinos alemães, sendo rebaptizando de "Guanabara".
• Em 10 de Outubro de 1961, com o propósito de substituir o antigo navio-escola homónimo (igualmente alemão, aprisionado nos Açores em 1916 durante a 1º Guerra Mundial), foi adquirido pelo Estado Português ao Brasil, após um período de inactividade, despendendo-se para o efeito 150.000 Dólares (4.500 Escudos) na sua aquisição.
• A 30 de Janeiro de 1962 foi formalmente aumentado ao efectivo dos navios da Armada Portuguesa [Portaria n.º 189 97 de 30 de janeiro de 1962], a 8 de Fevereiro de 1962 decorre no Rio de Janeiro a Cerimónia de incorporação do navio na Marinha de Guerra Portuguesa, zarpando do Rio de Janeiro em 25 de Abril do mesmo ano para a sua primeira viagem com pavilhão nacional.
• Na proa encontra-se representada a figura do Infante D. Henrique, o grande impulsionador dos descobrimentos portugueses, o casco do navio foi construído com chapas de aço de 10mm de espessura, rebitadas e parcialmente soldadas, é dotado de 23 velas, 10 de pano redondo e 13 de pano latino, sendo 11 triangulares e 2 quadrangulares.
• É um dos veleiros mais famosos no Mundo, conhecido pelas cruzes de Cristo vermelhas desenhadas nas velas redondas, um verdadeiro "ex-libris" do navio, da Marinha de Guerra Portuguesa e de Portugal, designadamente nas missões de natureza diplomática e de apoio à política externa do Estado.
• É frequentemente registado mais de 10.000 visitantes por dia e num porto movimentado durante a estadia, ultrapassa os 100.000. Durante a Expo 98, em apenas duas semanas recebeu 235.000 visitantes, é também objecto de inúmeras reportagens das estações televisivas.
• Conta já com 03 viagens de circum-navegação: uma em 1978/79, outra em 1983/84 e a última em 2010, já realizou 4 viagens de duração superior a 8 meses, embarcou 46 Cursos da Escola Naval, já visitou 60 países, 27 portos nacionais e 166 portos estrangeiros, já fez 31 passagens pelo Paralelo do Equador, 5 passagens pelo Canal de Suez, 4 passagens pelo Canal do Panamá, dobrou o Cabo da Boa Esperança em 1993.
• Nestas viagens esteve o equivalente a 15 anos fora de Portugal, 9 dos quais passados a navegar, percorrendo ao todo 600.000 milhas, equivalente a 23 voltas ao Mundo, conta ainda com a participação em 15 regatas internacionais onde alcançou dois primeiros, um segundo, um terceiro e dois quartos lugares.
• Inúmeros Presidentes, Ministros, Reis e Príncipes de várias nações, a par de personalidades famosas já estiveram a bordo.
• Para além de servir de Navio-Escola na formação de alunos da Escola Naval, é juntamente com os outros Navios-Escola da Armada, uma Embaixada itinerante que leva a presença e cultura de Portugal a todo o mundo. O facto de já ter ostentado três bandeiras conferiu-lhe uma história ímpar e exuberante, sendo assim um marco no património marítimo contemporâneo de Portugal.
• Em 1987, 1991 e 1993 realizaram-se modernizações, nas quais o motor original foi substituído, instalou-se um dessalinizador e ar condicionado, a fim de contribuir para a melhoria das suas condições de habitabilidade.
• É um navio gémeo do Navio-Escola da Marinha de Guerra Alemã "Gorch Fock", do Navio-Escola da Marinha Mercante Ucraniana "Tovarish" (Camarada), do Navio-Escola da Marinha de Guerra Romena "Mircea" e do Navio-Escola da Guarda-Costeira dos Estados Unidos "Eagle".

PARTICIPAÇÃO EM MISSÕES IMPORTANTES:
• Em Novembro de 1975, atracou em S. Petersburgo - Rússia, sendo o porto visitado mais setentrional.
• Em Junho de 1976, realizou uma viagem aos EUA para representar a Armada Portuguesa nas comemorações do seu Bicentenário, acompanhada pela "Vega" e a Força Naval UO.21.2.1 comandada por um CMG, constituído pelas Corvetas: "Afonso de Cerqueira" e "Honório Barreto", participando na "Internacional Naval Review" e na Parada Naval no Rio Hudson.


Foto cedida por Almirante Nunes da Silva

• Em Abril de 1977, participou em Hamburgo nas comemorações do centenário dos estaleiros alemães "Blohm & Voss".
• Em Julho de 1982, vence a Regata do Novo Mundo (Newport / Lisboa) na Classe A.
• A 11 de Maio de 1984, foi conferido ao Estandarte Nacional do navio a condecoração: Ordem do Infante D. Henrique, imposta pelo então Presidente da República, General Ramalho Eanes.
• Em Abril de 1993 realizou uma viagem comemorativa dos 450 anos da chegada dos Portugueses ao Japão, percorrendo 33.842 milhas.
• Em de Junho de 1993, atracou na Cidade do Cabo - África do Sul, sendo o porto visitado mais meridional.
• Em 2000, participou nas comemorações dos 500 anos da chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil, partindo de Lisboa rumo ao Rio de Janeiro, acompanhado da Fragata "João Belo", da Caravela "Boa Esperança" e do novo Navio-Escola brasileiro "Cisne Branco" que apadrinhara.
• Em Agosto de 2004, o navio serviu de Residência Oficial do então Presidente da República Jorge Sampaio, na ocasião da abertura dos Jogos Olímpicos de Atenas e visita à Grécia.
• Em Junho de 2005, representou a Marinha Portuguesa nas Comemorações da Batalha de Trafalgar.
• Em Junho de 2006, participou no desfile naval no Tejo da comemoração dos 150 anos da Associação Naval de Lisboa, acompanhado do Navio-Escola "Creoula", do "Vega" e mais de 300 embarcações.
• Em Julho 2006, participou na Regata "Tall Race Ships", acompanhado do Navio-Escola "Creoula".
• A 17 de Outubro de 2007, o Almirante CEMA Melo Gomes atribuiu em reconhecimento publico dos serviços prestados no mar e pelo seu significativo contributo para o prestígio e lustre da Armada e Portugal a Madalha Naval de Vasco da Gama.
• Em 2009, a par do "Blaus VII" participou na Cerimónia do Cinquentenário do Cristo Rei.
• Em Julho de 2009, venceu a Regata "Tall Ships Atlantic Challenge", conquistando o troféu "Boston Teapot Trophy" atribuído pela "Sail Training International", percorrendo a maior distância à vela durante um período de 124 horas, a bordo encontravam-se ainda 10 cadetes e oficiais de marinhas estrangeiras: África do Sul, Alemanha, Angola, Brasil, Canadá, Estados Unidos, França, Moçambique, Reino Unido e Tunísia.
• De 19 de Janeiro a 23 de Dezembro de 2010, realizou a 3.ª viagem de circum-navegação que durou cerca de 11 meses, visando satisfazer interesses políticos, diplomáticos, culturais e económicos de Portugal, ao mesmo tempo que proporciona o treino de mar a cadetes do 2º ano da Escola Naval.
• Participou em vários eventos durante a viagem, nomeadamente: Encontro e Regata Internacional de Grandes Veleiros no VELAS SUDAMÉRICA 2010; Comemorações do Dia de Portugal em S. Diego EUA; Cerimónias Comemorativas do Tratado de Paz, Amizade e Comércio entre Portugal e o Japão; EXPO Xangai 2010.
• Visitou os seguintes países: Brasil, Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador, México, EUA, Japão, China, Indonésia, Timor-Leste, Singapura, Tailândia, Malásia, União Indiana e Egipto, num total de 28 portos, percorrendo 40.000 milhas, 5.500 horas de navegação e sendo visitado por 300.000 pessoas.


Site oficial do Sagres: http://sagres.marinha.pt/NRPSagres/site/pt
Site dos 50 anos do Sagres: http://www.marinha.pt/aniversariosagres/
Diário de Bordo da 3.ª viagem de circum-navegação: http://ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/sagres/

8 comentários:

  1. Bem Haja camarada por enaltecer desta maneira a Briosa!

    Viva a Marinha!

    Um abraço

    E.P. CMG EMQ REF, Laranjeiro

    ResponderEliminar
  2. Navio a navio assim se vai enriquecendo a blogósfera naval. Muitos parabéns mais uma vez. Este espaço é muito mais fácil de consultar que o sítio oficial da Marinha, que está agora mais confuso que na versão anterior.

    ResponderEliminar
  3. Será bem vinda a sua visita ao Náutico: http://salvador-nautico.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Muito informativo e bem estruturado, só uma pequena correcção a fazer: 150.000 Dólars não eram 4.500 Escudos.
    Parabéns

    ResponderEliminar
  5. este lindo navio,esteve em viana do castelo em 10 junho 2008,fotografei-o,pena estar do lado de darque...tenho pena de não ter sido construido nos estaleiros de viana do castelo...seja como for ele navega com garra...obrigado PORTUGAL,...por estimares este navio.manuel oliveira

    ResponderEliminar
  6. Cumpriu-se mais uma missão. Bons ventos a levaram e a trouxeram de volta a casa. São assim os nossos navios. São desta têmpera os nossos marinheiros. « A PÁTRIA HONRAI QUE A PÁTRIA VOS CONTEMPLA »

    ResponderEliminar
  7. Boa Tarde.

    Saudações há Briosa.

    Estive a bordo do Navio Escola Sagres.

    Em 1966 - uma semana de estágio.

    Um Ex.Fuzileiro Especial.

    Um abraço, a guarnição actual.

    Veiga

    ResponderEliminar

Grato pelo seu comentário, prontamente estará visível!